Calçados, frutas e cera de carnaúba se beneficiam com alta do dólar

O dólar voltou a registrar mais altos patamares em oito meses ao ultrapassar os R$ 4 na semana passada. Apesar de ser um problema para o consumo dos brasileiros, os grandes exportadores cearenses – entre os quais dos segmentos de calçados, frutas e cera de carnaúba – podem se beneficiar com o cenário.
Na avaliação de Karina Frota, gerente do Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará , estes são alguns dos setores que podem se beneficiar com essa variação.
«Para as empresas que já estão exportando, como o setor de calçados, de frutas e cera de carnaúba, essas indústrias podem aumentar o valor exportado com a elevação do dólar», pontua.
De janeiro a abril, o setor de calçados exportou volume de quase US$ 100 milhões, um aumento de 5,6% em comparação ao primeiro quadrimestre de 2018. O de frutas vendeu US$ 48 milhões no mesmo período, mas foi o único a registrar queda, com redução de 24% do valor exportado.


Contra a maré

Na contramão das exportações, o setor de importação registrou um decréscimo nos últimos cinco anos, saindo de 13% em 2015, para 10,6% em 2019. Além disso, os US$ 670,4 milhões comprados do exterior pelo setor produtivo do Ceará nos primeiros quatro meses deste ano representaram uma queda de 16% em relação a igual período do ano passado, conforme dados divulgados pelo estudo Ceará em Comex, do Centro Internacional de Negócios da Fiec.
Para o economista Ricardo Coimbra, se a situação do dólar permanecer, setores que precisam importar podem ter mais prejuízos.


Consumidor

No final, quem pagará a conta será o consumidor, conforme aponta Karina Frota. «A empresa que vai importar uma matéria-prima mais cara e vai utilizá-la em sua produção, consequentemente elevará os preços do seu produto final», destaca.
 


© COPYRIGHT 2018 mfinternationalcargo.com.br - Desenvolvido por Clubesix